theme
Eu tô perdido. Sem pai nem mãe. Bem na porta da tua casa. Eu tô pedindo a tua mão e um pouquinho do seu braço.

lora-mathis:

Girl, an ongoing series 
by Lora Mathis 

"Feche os olhos se eu chorar, tampe os ouvidos se eu rir alto demais. Não fale que eu sou bonita, eu acho meu rosto tão feio, minhas pernas são desagradáveis, odeio meus braços. Não elogie minha forma de falar, não diga que isso te excita, não fale que gosta do meu sorriso, pare de olhar para minhas coxas. É tudo tão feio em mim, não minta, pare de falar que não vê essa falta de charme, essa desordem suja. Mas me beije, quando eu te olhar por tempo demais. Fique, quando eu ficar em silêncio depois da sua despedida. Me espere, quando eu suspirar e te olhar pela janela. Ria comigo, quando eu falar daquela menina que implora amor, ou daquele filme de romance que eu vi pela milésima vez. Concorde, quando eu disser que odeio romances, me beije quando eu falar que tenho medo de alguma coisa. Fale sobre sexo, sobre chuva, sobre cadeiras e me faça gargalhar. Feche os olhos de novo, tampe os ouvidos, fale que minha saia é curta demais e sussurre no meu ouvido que você gosta de minhas pernas. Eu juro que sussurro que você pode abri-las, acariciá-las ou o que quiser fazer. Deixe eu arranhar suas costas, não reclame quando eu te excitar nos momentos inapropriados, ria quando eu disser que passo mal com vinho, fale que sou sua menina, fale que não sou nada, fale que sou tudo. Me faça sentir." -
"Eu queria mostrar a todos que fui traído; que me prometeram muito e nada me deram; que tudo isso é vão e sem sentido, estando no fundo dessas coisas pomposas, arte, ciência, religião, a impotência de todos nós diante de augusto mistério do mundo. Nada disso nos dá o sentido do nosso destino; nada disto nos dá uma regra exata de conduta, não nos leva à felicidade, nem tira as coisas hediondas da sociedade. Era isso…" - Conto - Barreto, Lima (via que-seja-agridoce)
"Tu tens um medo:
Acabar.
Não vês que acabas todo dia.
Que morres no amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que te renovas todo dia.
No amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que és sempre outro.
Que és sempre o mesmo.
Que morrerás por idades imensas.
Até não teres medo de morrer.
E então serás eterno." - Cecília Meireles. 

distorcendo:

R,

Te escrevo dessa madrugada fria enquanto espero, na companhia de um cobertor e fones de ouvido, uma “chuva de meteoros” prometida pelos jornais. E apesar da minha contagem de estrelas cadentes ainda estar zerada, a continuarei esperando. Porque, afinal, esse é o tipo de coisa que eu faço.

Descobri, numa dessas viagens pra dentro de mim que sou uma incorrigível caçadora de coisas inúteis.

Eu te contei que no dia do meu aniversário saí em busca de um arco-íris? Sem licença poética, sem ficção, sem embelezar as coisas: eu saí em busca de um arco-íris e encontrá-lo era o profundo desejo do meu coração. 

Obviamente não o encontrei. Arco-íris não aparecem assim, quando a gente quer. Mas, decepções a parte, aqui estou, trocando uma boa noite de sono (ou de literatura, ou de cinema), por uma promessa de chuva de meteoros que, às 2:47 não deu nem sinal.

Tô te contando isso porque durante muito tempo me perguntei porque gosto de fotografar as coisas, assim, por nada, em troca de nada. E pensei que a fotografia e as minhas inúteis procuras e as chuvas de meteoros e a minha mania escota de sentar em bancos de praças e ver a vida passar e , inclusive, essa minha necessidade de insistir em nós (apesar do meu pessimismo ter se tornado maior que o meu amor), nada mais são que a minha maneira de tentar entender a vida.

É como se, enquanto eu fotografasse, buscando a beleza das coisas, a beleza do mundo fosse de repente se revelar pra mim.

É como se quando eu finalmente encontrar meu arco-íris e minhas estrelas cadentes tudo fosse, num toque de mágica, ganhar algum sentido.

É como se salvando nós dois eu pudesse, enfim, salvar a mim.

…Mas as estrelas não estão cadentes hoje (talvez eu só esteja olhando pro lugar errado) e os arco-íris não se mostram (talvez eu só esteja no lugar errado.

E o seu amor? Bom, talvez eu só esteja na pessoa errada.

umlugarparafugir:

Tumblr no We Heart It. http://weheartit.com/entry/69846282
explicando o amor com uma imagem
"prefiro legião à los hermanos porque renato morreu primeiro. eu sou um corredor estreito com uma porta em cada passo. aos domingos meu irmão comia frango com as mãos. morrisey chorou sozinho todos os sábados. nem em toda cura, há doença. acho que quatro da tarde é meu horário favorito. gosto do céu quando o sol ta nascendo, o amo quando o sol está morrendo. às vezes não consigo me localizar no tempo. são momentos de alívio. quando ele lambe meus seios eu me sinto virgem de novo. eu ainda roo unhas. gosto de filmes franceses porque possuem silêncios que guardo, mas esqueço. morro e renasço cada vez que acendo um cigarro." - outubro, dezesseis, 05:08 am (via sempre-vivas)
sweetnovember19:

☆ follow for more like this ☆
"Você tá sempre aí.
Sentindo todas as coisas do mundo.,as que ninguém quer ,e as que você merece sentir.
Você tá sempre aí.
Sentindo tudo.
Todos, o mundo.
Tantas e tantas coisas,pessoas, pacotes e furos.
Mas continua sozinho,
sem ter com quem dividir o caminho.
No mesmo trajeto
, nada secreto
por onde ninguém quer passar.
Você tá sempre só porque essa sua dor é difícil demais de carregar.
Ninguém quer dividir, ninguém quer engolir
seus dramas mexicanos na tv.
Vale a pena ver? Rever? Inventar?
Você tá sempre aí
Porque ninguém te diz pra onde ir
e você sofre demais pra sair do lugar" -

paris, 1992   

chorando c isso :c

(via cultivando-flores)

Que saudade daqui. Saudade dos textos para Fred. asked by youarethecosmos

fred faleceu sahiduh obg.. aparece!

Eu espero alguém que não desista de mim mesmo quando já não tem interesse. Espero alguém que não me torture com promessas de envelhecer comigo, que realmente envelheça comigo. Espero alguém que se orgulhe do que escrevo, que me faça ser mais amigo dos meus amigos e mais irmão dos meus irmãos. Espero alguém que não tenha medo do escândalo, mas tenha medo da indiferença. Espero alguém que ponha bilhetinhos dentro daqueles livros que vou ler até o fim. Espero alguém que se arrependa rápido de suas grosserias e me perdoe sem querer. Espero alguém que me avise que estou repetindo a roupa na semana. Espero alguém que nunca abandone a conversa quando não sei mais falar. Espero alguém que, nos jantares entre os amigos, dispute comigo para contar primeiro como nos conhecemos. Espero alguém que goste de dirigir para nos revezarmos em longas viagens. Espero alguém disposto a conferir se a porta está fechada e o café desligado, se meu rosto está aborrecido ou esperançoso. Espero alguém que prove que amar não é contrato, que o amor não termina com nossos erros. Espero alguém que não se irrite com a minha ansiedade. Espero alguém que possa criar toda uma linguagem cifrada para que ninguém nos recrimine. Espero alguém que arrume ingressos de teatro de repente, que me sequestre ao cinema, que cheire meu corpo suado como se ainda fosse perfume. Espero alguém que não largue as mãos dadas nem para coçar o rosto. Espero alguém que me olhe demoradamente quando estou distraído, que me telefone para narrar como foi seu dia. Espero alguém que procure um espaço acolchoado em meu peito. Espero alguém que minta que cozinha e só diga a verdade depois que comi. Espero alguém que leia uma notícia, veja que haverá um show de minha banda predileta, e corra para me adiantar por e-mail. Espero alguém que ame meus filhos como se estivesse reencontrando minha infância e adolescência fora de mim. Espero alguém que fique me chamando para dormir, que fique me chamando para despertar, que não precise me chamar para amar. Espero alguém com uma vocação pela metade, uma frustração antiga, um desejo de ser algo que não se cumpriu, uma melancolia discreta, para nunca ser prepotente. Espero alguém que tenha uma risada tão bonita que terei sempre vontade de ser engraçado. Espero alguém que comente sua dor com respeito e ouça minha dor com interesse. Espero alguém que prepare minha festa de aniversário em segredo e crie conspiração dos amigos para me ajudar. Espero alguém que pinte o muro onde passo, que não se perturbe com o que as pessoas pensam a nosso respeito. Espero alguém que vire cínico no desespero e doce na tristeza. Espero alguém que curta o domingo em casa, acordar tarde e andar de chinelos, e que me pergunte o tempo antes de olhar para as janelas. Espero alguém que me ensine a me amar porque a separação apenas vem me ensinando a me destruir. Espero alguém que tenha pressa de mim, eternidade de mim, que chegue logo, que apareça hoje, que largue o casaco no sofá e não seja educado a ponto de estendê-lo no cabide. Espero encontrar uma mulher que me torne novamente necessário.

Fabrício Carpinejar

"(…) Esteja aqui quando eu errar. Esteja aqui quando o ano virar. Esteja aqui quando eu chorar sem me explicar. Esteja aqui quando eu pedir pela solidão. Esteja aqui quando eu queimar o almoço. Esteja aqui quando eu comprar meu primeiro carro. Esteja aqui quando eu tiver medo do escuro. Esteja aqui quando eu receber o meu diploma. Esteja aqui quando eu for conhecer novos lugares. Esteja aqui quando eu for dedicar outras músicas secretas. Esteja aqui quando eu comprar um cachorro novo. Esteja aqui quando eu voltar a beber. Esteja aqui quando eu desistir de voltar a beber. Esteja aqui para zombar das minha inconstâncias e refletir sobre as minhas paranoias. Esteja aqui para me ver enlouquecendo ao escrever livros que nem chegarão às prateleiras. Esteja aqui para me dizer que eu posso descansar. E descanse comigo. Esteja comigo, porque eu estarei contigo." - Camila Costa. (via camilacosta)
theme